Gincana do Afeto

Gincana do afeto 

 Você já abraçou seu filho hoje?

Instituto Ladainha e a Associação Brasileira de Capoterapia vem apresentar a proposta  “Gincana do Afeto” visando atingir os alunos das séries iniciais as séries finais. Buscando incluir esta proposta dentro do Projeto da  Escola Integral, que visa proporcionar horário integral de permanência do aluno na escola.

Somos sabedores que as cidades satélites tem uma estrutura própria como cidade independente além de possuir sua própria identidade, a nossa educação é berço de diversos projetos desenvolvidos e encabeçados pelos próprios agentes da educação local dentro de sua escola. Assim sendo estamos apresentando esta proposta pioneira para fazer parte e alavancar o projeto Escola Integral.

  Objetivo Geral

Despertar nos alunos das séries iniciais e finais a importância da família, dos colegas, da integração entre a família e a escola e os princípios inerentes à formação do ser humano bem como a influência do afeto na construção do seu conhecimento e para a convivência em sociedade, através de tarefas estabelecidas.

Objetivo Específico
• Desenvolver atividades buscando evidenciar a importância da família.
• Demonstrar através de atitudes que o respeito aos pais e aos mais velhos fazem parte da formação do caráter das pessoas.
• Despertar nos alunos a necessidade do diálogo entre entes da família, colegas de classe e amigos.
• Incentivar os alunos a buscar a participação dos familiares em sua vida escolar.
• Incentivar os alunos a amar a si mesmo, o próximo e a natureza como forma de construção da sua formação e personalidade.
• Promover atitudes para o efetivo exercício da cidadania e da pátria.
• Estabelecer entre aluno e professor relações afetivas de respeito, compreensão e autonomia contribuindo para o aprendizado e para a conquista da auto-estima do aluno.

Justificativa
A proposta inicial é difundir a afetividade como forma transformadora da sociedade e como fator importante no relacionamento entre professor e aluno, aluno e seus familiares, aluno e sociedade. Disse Rousseau: “Ensine as crianças e os jovens, com palavras e, sobretudo atitudes, a amar a espécie humana. Comente que, acima de sermos americanos, árabes, judeus, brancos, negros, ricos e pobres, somos uma espécie fascinante. Nos bastidores da nossa inteligência somos mais iguais do que imaginamos. Elogie a vida. Leve as crianças e jovens a sonhar. Se eles deixarem de acreditar na vida, não haverá futuro”.
Por isso é que buscamos falar em afetividade acreditando em uma educação com relevância social e, logo, em uma escola construída a partir de respeito, compreensão e autonomia de idéias. Uma vez que se pretende formar cidadãos honestos responsáveis, e para isso a formação da auto-estima é fundamental para qualquer indivíduo.
A família também desempenha um papel fundamental na formação da auto-estima, e é, em muitos casos, o primeiro grupo social que as crianças têm contato. Vale ressaltar que existem outras construções familiares que não são tradicionalmente pai, mãe e filhos, porém a afetividade é um fator fundamental na relação com as pessoas que estão envolvidas com o desenvolvimento integral da criança.
Todo indivíduo possui uma família, independente de ser ela a desejável ou não. A importância da família na vida do ser humano é indizível, vez que é a partir dela que o ‘homem’ adquire os seus primeiros conceitos que formarão, ao longo do tempo, as pilastras de seu caráter, servindo de orientação para os inúmeros caminhos que a vida imporá durante sua trajetória. Todavia mudanças ocorreram, muito mais no campo fático que jurídico. O pai, em especial no Brasil e países do hemisfério sul, deixou de ser o “chefe” absoluto, regente do núcleo familiar. O número de mães solteiras, separadas, e até de ‘criações independentes’, agigantam-se quotidianamente.
A falta de escolaridade e instrução da mulher, em especial quanto aos seus direitos, promove a formação de famílias fragmentadas. Isto vem influenciando no caráter das crianças e dos adolescentes, que estão enfrentando a difícil arte de viver num mundo egocêntrico e desumano, fragilizando-se perante as decisões mais importantes em suas condutas. Os vícios, as drogas, corroboram para a dinamização do alicerce já frágil do menor. As crises econômicas entrelaçam o caos até então vigente, levando a quebrantada família ao desterro.
As consequências deste estado são o abandono escolar, o trabalho e a prostituição infantil, a entrega às drogas e a prática infracional pelo menor. Reflexo da falta de uma célula familiar bem organizada e perfeitamente constituída: pai e mãe, irmãos, tios, primos. O número de orfandade vem crescendo assustadoramente no Brasil.
A família atual, contudo, divorciou-se do sistema patriarcal. Os pais possuem direitos e deveres iguais para com seus filhos. No entanto, não exercem mais o controle sociocultural e ético-religioso dos filhos, o mercado, a mídia, os ‘games’, a informática, assumiram grande parcela da educação das crianças e adolescentes, que não estão mais atentos aos pais, mas sim ao programa de televisão, à moda, aos vícios tidos como demonstradores de maturidade.
A família está se dissolvendo gradualmente. Pais estão se separando por questões múltiplas: financeira, divergências pessoais, traição, conflito entre os parentes, e inclusive devido aos filhos. Os filhos não respeitam mais os pais, não correspondem mais na escola, valorizam mais o ensinamento apresentado entre os amigos que ao dos pais, quando estes se portam a isto. A formação de gang’s e a dependência de vícios fortalecem a marginalização, a troca do lar pela rua.
Diante a tantos fatores é que atualmente a escola e principalmente o educador tem um papel primordial e único para a formação da criança e do adolescente mostrando a eles que se é possível desenvolver mesmo a tantas divergências. É com este propósito que apresentamos esta proposta visando utilizar o afeto para proporcionar momentos agradáveis, desenvolvendo atividades que possibilitem demonstrá-lo com o próximo e a sociedade. Despertar atitudes e hábitos onde possibilitarão um pensamento crítico das crianças e adolescentes diante as novidades que o mundo impõe e principalmente despertá-los a valorizarem suas famílias mostrando a importância que elas possuem para sua formação.
Público Alvo
Alunos da rede pública de ensino das séries iniciais a séries finais cuja escola participa do Projeto Escola Integrada.

Cronograma
A gincana será realizada no turno contrário ao de estudo do aluno durante o período médio de 30 dias. Estaremos atendendo conforme cronograma de custos aproximadamente 40 escolas.

 Estratégias

A escola deverá realizar sua inscrição já definindo a data da realização da gincana. Serão previamente designadas diferentes tarefas relacionadas ao tema proposto, bem como a pontuação que será definida no regulamento das atividades.
Utilizaremos as seguintes estratégias: Dois momentos diferentes para motivarmos alunos e professores a participarem e se interessarem pelo projeto.
• 1º Momento – Terapia do Abraço realizada com os professores e servidores da escola.
• 2º Momento – Motivar os alunos através da Terapia do Abraço e Atividades Lúdicas.
• 3º Momento – Tarefas
• 1ª Tarefa – Realizar a abertura da Gincana, com a participação de todas as equipes, realizando o hasteamento da bandeira e o toque do Hino Nacional visando aprimorar o espírito cívico.
• 2ª Tarefa – Solicitar aos alunos que peçam bênçãos aos seus pais durante uma semana, todos os dias visando sensibilizar para o afeto com seus pais alterando comportamentos e desenvolvendo o respeito mútuo. A prova terá sua validação no dia do encontro da família onde os pais deverão relatar sobre o cumprimento da tarefa por parte do filho. Pontuação: 20 pontos
• 3ª Tarefa – Diálogo. O aluno deverá conversar com o pai ou a mãe durante 5 minutos todos os dias no período de uma semana. Assuntos propostos: seu dia, suas tarefas, seu relacionamento com o professor e colegas de classe, o que gosta de fazer e o que não gosta de fazer na escola. A prova terá sua validação no dia do encontro da família onde os pais deverão relatar sobre o cumprimento da tarefa por parte do filho. Pontuação: 20 pontos
• 4ª Tarefa – Vivência de Capoterapia . Será realizada uma vivência de capoterapia com os idosos e a participação dos alunos. Logo após de 3 a 4 idosos irão para as salas e os alunos realizarão uma entrevista, com as perguntas já estabelecidas, para eles.
Temas propostos para o questionário: Alimentação, Namoro, Relacionamento pai e filho. Pontuação: 10 pontos para cada participante da equipe
• 5ª Tarefa – Café da Manhã com os Empresários (para possíveis parceiros da escola). Cada aluno deverá preencher um formulário com 3 nomes de donos de estabelecimentos. Serão enviados convites para estes empresários em nome do aluno que o convidou.
Pontuação: 30 pontos para cada empresário que participar do café da manhã.
• 6ª Tarefa – Trabalho Voluntário. O aluno deverá trazer o pai ou mãe para realizar trabalhos voluntários na escola.
Pontuação: 05 pontos a cada hora trabalhada.
• 7ª Tarefa – Encontro da Família. Cada aluno deverá levar os pais e avós para estarem participando da terapia do abraço que será realizada a cada vinte minutos para que todos possam participar. Estaremos realizando a culminância do projeto com a pontuação e a definição da equipe vencedora.
Pontuação: Mãe – 20 pontos
Mãe e Pai – 50 pontos
Mãe, Pai e Avó – 70 pontos
Mãe, Pai, Avó e Avô – 100 pontos

Recursos
Viabilizar a participação de todo o corpo docente da escola e funcionários, parceiros da escola, estagiários de faculdades em diferentes áreas de estudo alocadas ao tema. Estaremos buscando parceiros para possíveis premiações das turmas vencedoras. Estaremos contando com uma equipe de quatro pessoas composta por membros da Associação de Capoeira Ladainha e Associação Brasileira de Capoterapia.

Plano de Aplicação
• Camisetas
• Banner
• Adesivos     Você já abraçou seu filho hoje?
• Cartazes
• Folder
• Premiação
• Festival de Sorvete
• Formulário para avaliação do projeto
• Certificado de Participação
• Revista ao final do projeto para divulgação
• Filmagem
• Fotos
• Sonorização
• Premiação
• Lanches
• Certificado Pacificador da Paz
• Palco
• Cenário
• Botões
• Faixas
• Adesivos
• Exposição de Frick Chaper

Parceria
Governo do Distrito Federal
Governos Estaduais
Prefeitura Municipais
Secretaria do Estado de Educação
Gerências Regionais de Ensino
Universidades e Faculdades
Parceiros da Escola e outros.

  

Filtro
Exibir # 
Título
Projeto Gincana do Afeto