Identificar as influências da Capoterapia no aspecto físico de idosos de um Projeto Social de um Centro de Convivência de Dourados/MS ao investigar o conceito de Capoterapia entre a amostra e analisar as influências físicas proporcionadas pela pratica dessa modalidade de atividade/exercício físico.

A inferência da pesquisa se fez por meio da abordagem qualitativa, com questões semi-estruturadas, com população composta por 32 pessoas da terceira idade com idades entre 60 a 93 anos, de ambos os gêneros. A maioria dos entrevistados afirmou conhecer a capoeira só de apresentações, sendo que, apenas um já a tinha praticado e desconheciam o termo Capoterapia e seus meios de prática adaptados a qualquer faixa etária ou nível social.

Depois da intervenção, todos gostaram muito das atividades oferecidas pela Capoterapia e disseram ter obtido melhora no aspecto físico devido às dinâmicas aplicadas. Pode-se concluir que, a Capoterapia trouxe grande contribuição na melhora das dores físicas consequentes do processo de envelhecimento aliado ao sedentarismo, proporcionando-lhes bem-estar físico com a prática da atividade física bem orientada, o que faz acreditar ainda mais neste método, que apesar de novo, demonstra um resultado positivo, conforme relatos dos entrevistados nesta pesquisa.

Fonte: Ismaél Dutra Quintana, Zelia Aparecida Milani Parizotto.